Com que frequência são analisadas as amostras criopreservadas?

Com que frequência são analisadas as amostras criopreservadas?

A criopreservação é realizada em azoto líquido em criopreservadores onde estão armazenadas as amostras durante um longo período de tempo. Em cada criopreservador existem várias centenas de amostras criopreservadas. Nesses criopreservadores é fundamental manter as temperaturas de criopreservação sem oscilações. Nesse sentido, a Biosckin, SA, Laboratório Criovida,  possui um sistema de monitorização de temperaturas de …

Tratamento de doentes com cirrose hepática recorrendo às células estaminais mesenquimatosas (MSCs) presentes no tecido do cordão umbilical (TCU)

Tratamento de doentes com cirrose hepática recorrendo às células estaminais mesenquimatosas (MSCs) presentes no tecido do cordão umbilical (TCU)

A utilização de células estaminais mesenquimatosas do próprio (autólogas) ou de um dador histocompatível (alogénicas) para o tratamento de doentes com cirrose hepática tem sido estudada e tem sido avaliada em ensaios pré-clínicos e em ensaios clínicos. A cirrose hepática é o resultado final de anos de agressões ao fígado, o que provoca a substituição …

A criopreservação do sangue (SCU) e do tecido do cordão umbilical (TCU) em bancos públicos e bancos privados tem permitido o crescente número de amostras armazenadas de elevada qualidade disponíveis para aplicação clínica a nível mundial.

A criopreservação do sangue (SCU) e do tecido do cordão umbilical (TCU) em bancos públicos e bancos privados tem permitido o crescente número de amostras armazenadas de elevada qualidade disponíveis para aplicação clínica a nível mundial.

O sangue do cordão umbilical (UCB) e, mais recentemente, o tecido do cordão umbilical (UCT) têm sido criopreservados em bancos privados e públicos de sangue e tecido do cordão umbilical em todo o mundo, desde que o sangue do cordão umbilical foi utilizado pela primeira vez numa criança com anemia de Fanconi. O SCU utilizado …

Número crescente de aplicações clínicas das células estaminais do sangue do cordão umbilical

Número crescente de aplicações clínicas das células estaminais do sangue do cordão umbilical

Apesar do sangue do cordão umbilical (scu) criopreservado em bancos públicos e privados ser maioritariamente utilizado para transplantes hematopoiéticos no tratamento de doenças hematológicas (como a anemia de Fanconi) e hemato-oncológicas (leucemias), novas aplicações terapêuticas na área da medicina regenerativa e da imunoterapia têm vindo a ser desenvolvidas assim como o número crescente de ensaios …

As células estaminais mesenquimatosas (MSCs) da geleia de Whärton do cordão umbilical podem ser isoladas de qualquer segmento do cordão umbilical colhido após o parto

As células estaminais mesenquimatosas (MSCs) da geleia de Whärton do cordão umbilical podem ser isoladas de qualquer segmento do cordão umbilical colhido após o parto

A geleia de Wharton é uma substância gelatinosa que se encontra dentro do cordão umbilical, em grande parte composta de mucopolissacarídeos (ácido hialurónico e sulfato de condroitina). Ela também contém várias populações celulares diferentes, nomeadamente células estaminais mesenquimatosas (MSCs). É derivada da mesoderma extra-embrionária e permite proteger os vasos sanguíneos durante toda a gestação. As …